Depois de um ano em meio de investigações PF faz megaoperação em Jequié

Em entrevista exclusiva ao repórter Dell Santos (Jequié FM 89,7), no início da manhã desta terça-feira (05DEZ17), o delegado federal Rodrigo Souza Kolbe, que coordenou pessoalmente a Operação Melinoe, informou que entre 23 e 25 pessoas foram conduzidas pela Polícia Federal hoje, em Jequié e Salvador. Ninguém de Jaguaquara foi conduzido, informou o delegado. A PF apura denúncias relacionadas a existência de funcionários fantasmas no âmbito da prefeitura de Jequié de 2013 a 2017. Funcionários teriam sido contratados para atuarem em postos de saúde e na área da educação municipal de Jequié, mas não trabalhavam. O delegado espera que, depois dessas oitivas, seja possível ter a exata noção do prejuízo que foi causado aos cofres públicos. Segundo o repórter Dell Santos, as pessoas que foram conduzidas à base montada na Pausada Trevo, no bairro KM 4, bem como todo o material apreendido – documentos, carros, computadores e outros bens – estão sendo levados a Vitória da Conquista, onde serão ouvidas e periciados. Um empresário e uma ex-vereadora, cujos nomes não foram revelados, estão entre investigados. Os supostos crimes vêm sendo apurados há um ano e meio, informou o delegado Kolbe na entrevista exclusiva a Jequié FM. Ainda de acordo com a reportagem, 58 policiais federal e seis auditores da CGU – Controladoria Geral da União cumprem, desde as primeiras horas desta manha,  46 ordens judiciais, sendo 23 mandados de condução coercitiva, 18 de busca e apreensão e 5 medidas cautelares nas cidades de Jequié, Jaguaquara e Salvador. O delegado informou ao repórter Dell Santos que, pelo menos, R$ 1,140 mi teria sido desviado da educação e da saúde.

Dell Santos entrevista delegado Rodrigo Souza Kolbe. Foto. Ari MouraViatura da PF na porta da Prefeitura de Jequié

Dell Santos acompanhou o entra e sai de viaturas
na Pousada Trevo, onde a PF instalou sua base em Jequié.