Insatisfeitos com a Gestão Sérgio&Hassan, servidores protestam nas portas da Prefeitura e da Secretaria de Educação

A insatisfação dos servidores públicos municipais de Jequié com a Gestão Sérgio&Hassan ganhou as ruas da cidade, nesta terça-feira (22MAIO18). Liderados pelos sindicatos, grupos de trabalhadores aproveitaram a paralisação de advertência de 24 horas para promover protestos nas portas da Prefeitura e da Secretaria de Educação contra a decisão da atual gestão que decidiu não conceder reajuste salarial para o funcionalismo efetivo. Em entrevista ao repórter Dell Santos (Jequié FM 89,7), a diretora da APLB, Caroline Moraes, ventilou a possibilidade de deflagração de uma greve unificada, englobando Sinserv, APLB e SindACS-ACS já em junho.

“Embora o gestor tenha implementado o Plano de Cargos em 2016, até agora a legislação não foi cumprida efetivamente. Conforme definido em Lei, entre outros quesitos está faltando a atualização da tabela (data base em março com retroação a janeiro). A Comissão de Desenvolvimento Funcional ainda não foi instalada, falta o reajuste dos inativos (por conta do enquadramento ainda percebem salário de 2016), necessita fortalecimento da previdência principalmente através de concurso público”, esclarece o Sinserv. A categoria ainda reclama da desvalorização dos servidores públicos pela atual Gestão Sérgio&Hassan.

Em seu site, o Sinserv alerta ainda para a ausência de concurso, fato que resultou no enfraquecimento do Instituto de Previdência e inchaço da folha de pagamento diante de inúmeras contratações geradas pelo Município. “Os servidores efetivos não vão pagar pelo desmonte dos serviços públicos, até porque o Governo se utiliza da ausência de planejamento das contas públicas para culpar os concursados pelo excesso de despesa de pessoal”, destaca. Embora cada entidade sindical tenha sua pauta própria, desde o mês passado ficou decidido unir forças pela defesa de questões em comum que envolve o funcionalismo efetivo.