Degradação ambiental, fiscalização ineficiente, ausência de políticas públicas e o triste fim de nossos recursos naturais

A Semana Mundial do Meio Ambiente, celebrada nos primeiros dias deste mês de junho, não foi marcada por plantios de árvores, muito menos lançamento de nenhum projeto por parte do poder público municipal. Justamente, Jequié, uma cidade carente de áreas verdes, espaços naturais como Parques, Bosques e Praças bem arborizadas. A falta de compromisso de quem poderia liderar o movimento capaz de proporcionar a melhoria da qualidade de vida da população nos remete a óbvia conclusão de que o futuro continua comprometido. Como se não bastasse a ausência de um arrojado e contínuo projeto visando arborizar a cidade, alguns de seus principais rios morrem à míngua. O Rio das Contas agoniza, inclusive recebendo descargas de esgoto sem tratamento; enquanto o Rio Jequiezinho, por causa também dos esgotos, deixou de existir no perímetro urbano. Difícil resistir. Outros podem seguir o mesmo caminho da morte pela inoperância de quem não faz reflorestamento, não cuida das nascentes, não restaura as matas ciliares.

O amanhã é desanimador porque quem governa não zela; quem se beneficia não preserva; quem fiscaliza não cumpre com sua missão de barrar os crimes ambientais que se perpetuam em Jequié, transformando o Município numa espécie de “terra sem lei”. Melhorar a qualidade de vida da população no que concerne ao meio ambiente, no entanto, não depende somente de medidas como recuperar seus rios e florestal. A cidade carece de investimento outros para combater a poluição, a partir, por exemplo, da construção de ciclovias, para incentivar as pessoas a mudanças de hábitos em relação ao transporte. Ocorreu que a cidade sequer tem calçadas. Tirando a Av. César Borges, que ainda tem passeios, as demais vias, em todos os bairros, oferecem aos andantes um verdadeiro desastre urbanístico. Quem circula a pé, sabe da falta das condições mínimas para caminhar em segurança, pois os obstáculos estão por toda parte, com rampas, escadas e construções (invasões) em passeios – espaço sagrado dos pedestres.

Resultado de imagem para rio das contas jequié blog souza andradeImagens de peixes mortos nas proximidades da Passarela que liga o bairro Joaquim Romão ao Distrito Industrial. Março de 2019.