Secretário de Cultura diz que Prefeitura não tem dinheiro para reformar prédio da Filarmônica Amantes da Lira

Embora dona de uma das principais arrecadações do estado da Bahia, a Prefeitura de Jequié diz não ter dinheiro para efetuar a reforma da sede da Associação Filarmônica amantes da Lira, cujo valor é de R$ 120.451,01 (cento e vinte mil quatrocentos e cinquenta e um reais e um centavo, conforme informações passadas pelo secretário municipal de Cultura e Turismo, Alysson Andrade, em documento encaminhado a rádio Jequié FM nesta quinta-feira (12set19), para justificar a situação em que se encontra o prédio, localizado na Av. Santa Luzia, após reportagem do Programa Bom Dia Jequié ter feito o fiel retrato em que se encontra o imóvel pertencente ao patrimônio municipal, tendo o local servido também, por anos, para a realização de aulas de música para crianças e adolescentes, notadamente as residentes no Joaquim Romão, bairro popular da cidade.

“Ocorre que, para o início da reforma em comento, faz=se necessário a disponibilidade de recursos financeiros, até o momento, indisponíveis, o que inviabiliza a renovação da cessão de uso do prédio público, em favor da Sociedade Filarmônica Amantes da Lira”, justifica. Informa ainda que o Município abriga a Filarmônica em um dos anexos da Casa da Cultura Pacífico Ribeiro, no Centro.

Afora, a sede da Filarmônica, entidade sem fins lucrativos, fundada em outubro de 1949, outro imóvel fechado também chama a atenção de todos. Trata-se do Teatro Municipal, de igual valor para a memória popular, em plena Av. Rio Branco, Centro de Jequié. Triste da cidade que não tem espaços culturais importantes em funcionamento pleno, privando a população de uma pauta permanente de atividades, muito menos de atividades capazes de promover grandes transformações sociais.

Sede da Filarmônica apresenta sinais de decadência. Foto: Dell Santos Foto arquivo: autoria desconhecida